Pesquisa de opinião encontro de aposentados e pensionistas

Premiação Melhores do ano 2019
16 de dezembro de 2019
Suspensão temporária das atividades do Clube
17 de março de 2020
unnamed

Pelo menos 35% dos aposentados que participaram da pesquisa de satisfação sobre o Programa Reencontro afirmaram ter ido a um ou mais encontros do projeto. Para a maioria deles, a oportunidade de rever amigos e colegas é o principal atrativo da iniciativa. Ao todo, 322, num universo de 1.995 aposentados que residem no Distrito Federal, responderam ao levantamento.

A pesquisa mostrou ainda que 56% dos aposentados compareceram aos encontros sediados na Associação dos Servidores do Senado Federal (Assefe) e 18,7% na sede do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do TCU (Sindilegis). Já 25,2% estiveram nos dois locais.

Entre os respondentes, 51,9% afirmaram preferir que o programa seja realizado na Assefe, às margens do Lago Paranoá, no período de seca, e na sede do Sindilegis [local coberto e com acessibilidade], na época de chuva. Já 25,9% disseram não ter preferência de local para realização. Houve empate (11%) entre os que optaram pela Assefe e os que escolheram o Sindilegis, independentemente do clima.

A diretora-geral do Senado, Ilana Trombka, parabenizou a Secretaria de Gestão de Pessoas (SEGP) pelo trabalho realizado, nos últimos anos, com os servidores aposentados da Casa. Segundo ela, eles são “uma parte indissolúvel da organização e trabalhar com eles e para eles é também uma das funções da Diretoria-Geral”.

É um trabalho que cada vez mais se aprimora e que traz o servidor aposentado para a família do Senado. Família, aliás, da qual ele nunca saiu. Se ele está um pouco afastado porque não tem mais o trabalho diário na Casa, ele estará novamente próximo por poder encontrar os serviços do Senado e seus colegas de trabalho nessas oportunidades de recadastramento — afirmou Ilana.

Melhores resultados

Para o diretor da SEGP, Gustavo Ponce, a pesquisa teve o objetivo de “ouvir o cliente” do programa. Assim, segundo ele, a partir dos resultados coletados, é possível garantir melhores resultados ao público-alvo.

Colhemos informações muito boas de quem participa. Estamos felizes porque mesmo a pesquisa sendo feita em janeiro tivemos um retorno muito bom. Tivemos um percentual de participação acima da média e isso mostra que as pessoas estão aprovando o programa. Com isso, estamos habilitados para continuar [oferecendo o programa — disse.

De acordo com Paulo Meira, assessor técnico da SEGP, a participação no levantamento alcançou o índice de 16% entre o público-alvo, quantitativo bem acima do que a literatura de pesquisa indica como taxa de retorno para pesquisas on-line, de 3 a 5%.

Isso desconstrói a crença de que nossos servidores aposentados não têm intimidade com tecnologia. Em menos de 1 hora [do envio da pesquisa], já havíamos recebido 50 participações. Como nem todos os pensionistas, que também são público-alvo do evento, possuem e-mail cadastrado, a pesquisa eletrônica foi inicialmente focada nos servidores aposentados — afirmou.